top of page

Investir na Bolsa ajuda a sociedade?

Toda relação comercial ou profissional é baseado em uma troca. Um trabalhador assalariado oferece sua força de trabalho em troca do seu salário, um empresário oferece um determinado produto ou serviço ao consumidor em troca de um pagamento… mas e o investidor? O que ele dá em troca do dinheiro que recebe?


Recentemente, Felipe Neto fez um comentário que levantou esse questionamento quanto ao valor agregado que os investimentos em ações trazem para a sociedade, e realmente isso é um pensamento muito comum, e até faz algum sentido, quando a gente não entende muito bem o que é o mercado de ações além de gráficos que ficam subindo e descendo.


Antes de dar uma resposta mais direta, vamos tentar chegar nela juntos, em duas etapas:


1- Acesso


Uma empresa, independente do setor, tem custos para produzir aquilo que vende. Para ajudar a suprir esses custos, os empresários costumam calcular quanto a empresa vale como um todo, caso ela fosse totalmente comprada, e vendem partes dessa empresa, baseado nesse preço. O dinheiro que recebem é usado para a construção de novos produtos. Os compradores, em troca, se tornam sócios e recebem parte das receitas da empresa, até que essa receita ultrapasse o valor da compra e vire lucro ou que ele resolva vender essa participação para outra pessoa interessada.


O empresário pode vender essa parte da empresa para 1, 2, 100 ou milhares de investidores. Quanto mais fragmentada a empresa é, menor é o percentual de cada parte dela e, consequentemente, menor é a parte do lucro que o dono daquela pequena parte da empresa vai receber.


Agora, vamos imaginar dois cenários: em um deles, um empresário quer vender 40% da sua empresa, e aceita vender para um único milionário que aceitou pagar caro por toda essa fatia. Já um outro empresário também queria vender 40% de sua empresa, e vendeu para 40 pessoas, onde cada um teria 1% dos lucros da empresa daí para frente. Essas 40 pessoas não eram tão ricas assim, mas por terem comprado fatias menores da empresa, conseguiram pagar um valor mais acessível.


Qual das duas situações foi mais inclusiva? A primeira, onde para poder contar com os dividendos de uma empresa você precisaria ser um milionário, ou a segunda, onde com um pequeno valor, às vezes menos de 20 reais, você conseguiria se tornar sócio e contar com a participação em lucros de uma grande empresa?


Essa é a primeira vantagem da Bolsa de Valores. Ela dá acessibilidade a um mercado muito rentável que, sem ela, seria restrito e elitizado. Para a empresa que está procurando esses investimentos, vendendo suas participações, isso também é muito bom, porque facilita a venda dessas participações e garantem diversificação, como explicamos no texto anterior.


2- Fiscalização


Mas vamos além disso. Quando um investidor quer comprar participações de uma empresa, ele precisa avaliar a fundo se essa empresa realmente vale a pena, e analisa a fundo seus resultados e planejamentos, garantindo que eles são verdadeiros.


E quando falamos de investimentos na Bolsa, essa análise também é possível para qualquer um, pois as empresas que têm capital aberto (negociam participações em uma Bolsa) são obrigadas a divulgar seus resultados publicamente na internet, com períodos definidos, e são vigiadas e auditadas o tempo todo por órgãos independentes, para dificultar qualquer tipo de fraude.


E aqui vem a segunda contribuição do capital aberto: o investimento através de Bolsas de Valores proporcionam mais garantia de transparência e integridade das empresas. Além da vigilância formal, o fato dessas empresas estarem muito mais sujeitas a opinião pública por terem capital aberto também as força a andarem na linha, e o consumidor final ganha com isso.


Existe uma cultura o nosso país de se pensar que investimento em ações é “coisa de gente rica”, é “loteria” ou que é dinheiro fácil. E acreditar nisso é natural quando não se entende como esse mercado funciona. Mas, contrariando o senso comum, no final das contas é exatamente o contrário, já que a Bolsa de Valores democratiza o que antes seria de acesso apenas a super ricos.


Se você já investe ou quer começar a investir em renda variável, o Frin pode te ajudar. Conheça nossa Planilha de Controle de Investimentos. Tenha todas as informações sobre seu patrimônio em um só lugar, compare com o Ibovespa e veja dicas personalizadas para fazer seus investimentos decolarem! Clique aqui para saber mais


Até a próxima, pessoal!


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page